domingo, 12 de setembro de 2010

Onde não pertenço...


Inutilizáveis correntes que carrego,
presas em meus pulsos de memórias,
vivas em instantes, matando-me, não nego!
O que já não tenho vivo em poucas glórias.
.
Enterro minhas lembranças de tormento,
no vago espaço de minha alma,
entres caídas flores e pura calma...
O vazio se torna meu contentamento.
.
Revoadas de escuridão,
entre tantos pensamentos,
misturando-me , em tanta solidão,
que limita meu sentir de tantos sentimentos.
.
Suspiros quebram o silencio intenso,
em cada nebulosa noite fria...
Queria tanto, achar-me onde merecia,
mas me encontro onde não pertenço.

2 comentários:

  1. Vc eh um poeta gótico nato, parabéns. Queria eu poder ter pelo menos 5%do seu dom :)

    ResponderExcluir
  2. Vc eh um poeta gótico nato, parabéns. Queria eu poder ter pelo menos 5%do seu dom :)

    ResponderExcluir