quarta-feira, 2 de junho de 2010

Outros versos...

Mira-me os olhos que vêem o que não vejo,
na lágrima que cobre minha alpebra dormente...
Em meu corpo impuro, vazio do que desejo,
calar-me a voz do grito entorpesente.
.
Não finjo o rancor em soltar meu pranto,
matando-me o silencio adormecido...
E finjo sim, de mim mesmo - Esquecida!
Em vão silencio à calar meu canto.
.
Solta-me das correntes que não sinto,
limitando meu "eu" do que mais quero...
Imaginar-me feliz e o que espero,
mas tal momento não sei se minto.
.
Fujo da sombra que me esconde,
e no claro do dia me esqueço...
Olho-me no espelho, mas não conheço!
O reflexo que vem não sei de onde.
.
Sou nada mais que um sentimento entre diversos,
na folha de um poeta, me descrevo!
No pensamento que tanto escrevo,
sou nada mais que simples versos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário