sábado, 8 de maio de 2010

Eu não direi o que não sinto...

Eu não direi o que não sinto,
nem falarei o que não penso,
embora seja. este momento tenso,
não calarei o que pressinto.
.
Sinto-me ofegante e impotente,
limitado á um curto pensamento,
deste puro e estranho sentimento,
que há mim foi tão inconseguente.
.
Ferindo-me a cada vaga lembrança,
marcadas por arrependimento,
e um remorso que tanto mata minha esperança,
.
Já pouco viva em meu contentamento,
levando-me a meu tempo de criança,
onde alegre-me era, a cada vão momento.

2 comentários:

  1. Você se expressa muito bem...
    Adoro seus poemas... seus desabafos...
    Realmente são lindos...
    Parabéns.

    ResponderExcluir