domingo, 31 de janeiro de 2010

Testamento

Nada fui, não fui nada!
ninguém importante,
um alguém impotante
com uma alma apaixonada.
.
Vivi momentos lindos,
inesqueciveis loucuras...
Muitos deles, perdido
em grandes aventuras.
.
vi coisas boas,
mas o mal sempre e presente.
Conheci muitas pessoas...
Lindas crianças sorridentes.
.
Falei belas palavras de amor,
muitas vezes pra mulher errada...
Nunca sem temor,
por saber que eu
não sentia nada.
.
Ouvi grandes musicas,
vastas melodias...
Clássicas e unias,
matando o silencio
dos meus dias...
.
Pois Fim!
Deixo aqui meu pensamento,
narrando em letras minha vida.
Antes que morra esquecida,
á deixo vive em testamento.

2 comentários: