quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Lua


Iluminada, branca e bela lua,
ao longe, sozinha, em meio a noite escura.
Pálida, silenciosa, imóvel
escultura...
Destaca-se em meio ao céu, sua beleza nua.
Esconde-se em seu leito a cada nascer do dia,
se esconde nas nuvens a cada vento que assobia.
Limitando seu brilho com tanta intensidade...
Imortal imagem de pura realidade.
E outra vez a criar vida em uma tarde que se despede,
Linda forma que nasce, quando a noite pede.
Segue noite após noite sua lenta rotina,
sempre avistada ao abrir de uma cortina.
Vista por tudo e por todos em baixo dela...
Uma luz infinita, nunca iqual a de uma vela.
Luan kleyton

Nenhum comentário:

Postar um comentário