quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Anjo


Anjo, na noite te chamo distante,
venha ao meu encontro nesse mesmo instante.
Cura minha dor... minhas feridas.
Ilumine meus caminhas destas minhas mentiras pedidas.


Frio, faz-me sem tua presença...
medo, traz-me com tua ausência...
Calado estou sem tua voz.
Teu silencio plana sobre nos.


Oh, como doí sem teu amado coração,
nesta nebulosa e sombria solidão.
Se nada tua querer, nada eu posso ter,
tu és tudo que preciso, eis mais que necessito.


Anjo, lindo, branco e forte...
tu és mais que minha vida, nesta minha amarga morte.

Um comentário:

  1. owwww gostei muito do poema serio e lindoo
    oww e outra eu tbm crio poemaa
    se quizer entrar e contanto comigo aki ta meu msn
    marinatur2010@hotmail.com

    ResponderExcluir